REVISTA DOS TRIBUNAIS

thomson reuters

BLOG | REVISTA DOS TRIBUNAIS

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Soja paira perto do menor nível em dois anos e milho toca mínima em três anos

Soja paira perto do menor nível em dois anos e milho toca mínima em três anos

Soja no Brasil

Por Tom Polansek

CHICAGO (Reuters) – Os contratos futuros da soja na bolsa de Chicago caíram para perto do menor nível em dois anos nesta quarta-feira, com as safras brasileiras se beneficiando da melhora do clima e desafiando as exportações dos Estados Unidos no mercado global, segundo analistas.

Os contratos futuros do milho atingiram o menor patamar em três anos, enquanto os do trigo terminaram quase estáveis, depois de atingirem o nível mais baixo em sete semanas na terça-feira.

Operadores monitoraram o potencial de produção e as exportações do Brasil, o maior fornecedor de soja do mundo, conforme chuvas melhoraram recentemente as condições das safras de soja e milho da América do Sul.

Analistas reduziram as previsões para as safras do Brasil devido aos danos causados pela seca anterior, e sojicultores no Mato Grosso, maior produtor de grãos do país, enfrentam a pior tendência de produtividade dos últimos 15 anos no ciclo 2023/24, de acordo com a EarthDaily Agro, uma divisão da EarthDaily Analytics, com sede no Canadá.

Entretanto, os embarques de soja para a China, o maior importador mundial da oleaginosa, em fevereiro e março, estão mais baratos no Brasil do que no Golfo dos EUA, disse Arlan Suderman, economista-chefe de commodities da corretora StoneX.

“Isso me diz que o Brasil não está preocupado com o tamanho de sua safra”, disse Suderman. “O mundo pode conseguir a soja muito mais barata do Brasil neste momento.”

O contrato de soja mais ativo na bolsa de Chicago (CBOT) terminou em queda de 21,50 centavos, a 12,0575 o bushel. O contrato terminou perto do menor nível da sessão de 12,05 e perto do patamar mais baixo de dois anos atingido na sexta-feira, de 12,03 dólares.

O contrato de milho caiu 1,25 centavo, fechando em 4,4225 por bushel, depois de cair mais cedo para 4,40, o nível mais baixo desde dezembro de 2020.

O trigo mais ativo da CBOT subiu 0,50 centavo, a 5,8250 por bushel, enquanto os contratos de trigo diferidos se enfraqueceram.

 

Mais lidas

Post Relacionado

lançamentos de julho

Lançamentos de Julho

As novidades do universo jurídico chegam com uma coleção de lançamentos de julho imperdíveis para os profissionais do Direito, trazendo obras que abordam desde os