REVISTA DOS TRIBUNAIS

thomson reuters

BLOG | REVISTA DOS TRIBUNAIS

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Pesquisadores argentinos veem eleição presidencial “totalmente aberta”

Pesquisadores argentinos veem eleição presidencial “totalmente aberta”

Pesquisadores argentinos veem eleição presidencial "totalmente aberta"

Por Nicolás Misculin e Horacio Soria

BUENOS AIRES (Reuters) – Pesquisadores argentinos afirmam que o segundo turno presidencial de 19 de novembro entre o radical Javier Milei e o atual ministro da Economia Sergio Massa está aberto, embora Milei tenha uma ligeira vantagem.

Mas eles estão cautelosos em fazer previsões concretas após duas surpresas eleitorais contundentes.

A eleição para decidir o próximo presidente da Argentina, uma das mais importantes em uma geração, coloca Milei, um economista libertário que propõe a dolarização da economia e a redução dos gastos do Estado, contra o candidato dos peronistas que dominam a política há décadas, mas que estão sendo responsabilizados pela inflação de três dígitos e por uma recessão iminente.

A maioria das pesquisas recentes mostra Milei com uma ligeira vantagem sobre Massa. No entanto, os pesquisadores com os quais a Reuters conversou disseram que a disputa está “totalmente aberta” e que qualquer um dos candidatos pode vencer.

“Se as eleições fossem hoje, Milei venceria”, previu Shila Vilker, diretora da consultoria Trespuntozero, cuja análise mostra o candidato de extrema-direita à frente por uma margem estreita.

“Mas é preciso considerar o que aconteceu na eleição primária e na eleição geral: movimentos de quatro ou cinco pontos na última semana, ou mesmo nos últimos três ou quatro dias.”

Na votação do primeiro turno, no mês passado, Massa superou as estimativas pré-eleitorais e venceu Milei por quase sete pontos. Entretanto, desde então, Milei ganhou o apoio da terceira colocada Patricia Bullrich, enquanto a dolorosa escassez de gasolina e diesel no início de novembro pode pesar sobre Massa.

Uma pesquisa recente da Aresco mostra Milei com uma vantagem de quatro pontos, enquanto outra da Universidade de San Andrés mostra o libertário com 40% contra 34% de Massa. Uma pesquisa da Atlas Intel também deu a Milei uma pequena vantagem.

A pesquisa Analogias mostrou Massa à frente, mas por menos de três pontos, o que reduziu pela metade a vantagem prevista pela mesma pesquisa uma semana antes.

A chave será conquistar os eleitores dos perdedores do primeiro turno, especialmente os da conservadora Bullrich, que apoiou Milei publicamente, mas cuja coalizão está profundamente dividida. Ela obteve quase 24% dos votos no primeiro turno.

Lautaro Díaz, de 35 anos, que pretende votar em Milei, disse que o apoio de Bullrich tornou “mais real a possibilidade de (Milei) vencer”.

Massa, por sua vez, tem procurado conquistar os eleitores prometendo proteger os generosos esquemas de bem-estar social que formam a espinha dorsal da política peronista. O plano de “motosserra” de Milei para reduzir o Estado colocaria esses programas em risco em um momento em que muitos dependem deles, advertiu ele.

“Vou votar em Massa porque acredito que ele é hoje o único com uma visão para o país que parece coerente e que responde às necessidades do povo”, disse Matteo Bettini, de 21 anos.

Federico Aurelio, diretor da empresa de pesquisas Aresco, afirmou que a corrida está totalmente aberta, com bastante tempo para que os eleitores céticos mudem de opinião.

“Há uma proporção muito significativa do eleitorado que vai procurar o que considera o ‘mal menor'”, disse ele.

“Quem conseguir transformar a votação em um referendo sobre o outro ganhará”, completou. “Esse é o paradoxo desta eleição.”

 

Mais lidas

Post Relacionado

lançamentos de julho

Lançamentos de Julho

As novidades do universo jurídico chegam com uma coleção de lançamentos de julho imperdíveis para os profissionais do Direito, trazendo obras que abordam desde os