REVISTA DOS TRIBUNAIS

thomson reuters

BLOG | REVISTA DOS TRIBUNAIS

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Lula diz que chamará Petrobras e Ibama para decidir sobre Margem Equatorial e que país não desperdiçará oportunidade

Lula diz que chamará Petrobras e Ibama para decidir sobre Margem Equatorial e que país não desperdiçará oportunidade

Lula e Marina Silva

SÃO PAULO (Reuters) – O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta terça-feira que chamará o Ibama, a Petrobras e o Ministério do Meio Ambiente para decidir sobre a exploração de petróleo na chamada Margem Equatorial e voltou a afirmar que o Brasil não desperdiçará a oportunidade de explorar a commodity na região.

Em entrevista à rádio CBN, Lula disse que o local onde se pretende explorar petróleo na foz do Rio Amazonas, parte da Margem Equatorial, está a uma grande distância da região sensível ambientalmente e disse que, enquanto faz a transição energética, o Brasil precisa ganhar dinheiro com petróleo.

“Em algum momento eu vou chamar o Ibama, a Petrobras e o Meio Ambiente na minha sala para tomar uma decisão. Esse país tem governo, e o governo reúne e decide. Se as pessoas podem ter posições técnicas, vamos debater tecnicamente. O que não dá é a gente dizer a priori que a gente não vai explorar uma riqueza que, se for verdade as previsões, é uma riqueza muito grande para o Brasil”, disse Lula.

“É contraditório? É, porque nós estamos apostando muito na transição energética. Ora, mas enquanto a transição energética não resolve o nosso problema, o Brasil tem que ganhar dinheiro com esse petróleo”, acrescentou.

Lula lembrou ainda que Guiana e Suriname, países vizinhos do Brasil, estão explorando petróleo na região.

Localizada entre os litorais do Amapá e do Rio Grande do Norte, a Margem Equatorial é vista por especialistas como uma área de grande potencial para a exploração de petróleo.

Recentemente, o Ibama recusou pedido de licença da Petrobras para realizar estudos visando possível exploração de petróleo na foz do Rio Amazonas no Amapá, parte da Margem Equatorial, o que gerou um racha no governo e levou o líder do Executivo no Congresso, senador Randolfe Rodrigues (sem partido-AP), a desfiliar-se da Rede Sustentabilidade, partido da ministra do Meio Ambiente, Marina Silva.

Marina defende a decisão do Ibama, que aponta que a Petrobras não apresentou estudos que garantam a segurança ambiental das pesquisas exploratórias. Por outro lado, além de Randolfe, outros membros do governo Lula, como o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, defendem a exploração na foz do Rio Amazonas.

(Por Fernando Cardoso e Eduardo Simões)

Mais lidas

Post Relacionado

lançamentos de julho

Lançamentos de Julho

As novidades do universo jurídico chegam com uma coleção de lançamentos de julho imperdíveis para os profissionais do Direito, trazendo obras que abordam desde os